Departamento Médico avalia positivamente a disputa da Série C

  • Data de publicação
    15/11/202122h11
  • 15/11/2021
    POR: Imprensa
  • Data de publicação
    0

Sabedores que em um ano de intensidade de competições há inevitavelmente uma série de lesões musculoesqueléticas que levam ao afastamento de atletas de suas atividades, o departamento médico do Criciúma avaliou o encerramento do Campeonato Brasileiro da Série C de forma positiva. Durante a competição nacional, que confirmou o acesso do Tigre na Série B de 2022, o elenco profissional teve apenas oito atletas afastados por lesões musculares, ocorridas em jogos e treinos.
 
“Em um trabalho conjunto de todo o departamento médico no Centro de Treinamento Antenor Angeloni, a prevenção de lesões foi um fator determinante. Entre os oito lesionados da competição nacional, tivemos somente um por artralgias em membros inferiores com um tempo médio de 14 dias de permanência no DM. Tivemos prejuízos técnicos e financeiros mínimos ao clube”, comemorou o diretor médico Marcelo Beirão.
 
Sobre a recuperação dos jogadores do elenco carvoeiro, o fisioterapeuta do clube, Fabrício Gonçalves, explica que a média do período de transição igualou os times de Série A e Série B do Campeonato Brasileiro. “O período de transição, que corresponde entre a saída do atleta da fisioterapia, os cuidados da preparação física do mesmo e o reinício de treinos com o grupo, foi em média de nove dias, o que confirma o trabalho realizado nos ótimos números”, destacou.
 
Os curtos períodos entre a lesão e a volta do atleta aos treinamentos são de grande importância para a comissão técnica, que necessita de todo o grupo à disposição para o aproveitamento em treinos e jogos. “Esse é um trabalho conjunto entre os médicos e fisioterapeutas do clube, somados ao setor de fisiologia, preparação física e nutrição. Além disso, temos o suporte dos vídeos gravados pela análise de desempenho. Podemos entender melhor a lesão assistindo como ela aconteceu”, acrescentou o médico Ricardo Furtado.
 
    
Médico Marcelo Beirão em atendimento ao atacante Silvinho na partida contra o Paysandu, que garantiu o acesso do Tigre à Série B de 2022. Foto: Celso da Luz/ Assessoria de imprensa Criciúma E.C.
 
PARCERIA COM A UNESC CONTRIBUI PARA O SUCESSO
 
Além de toda a tecnologia disponível no clube, o departamento médico trabalha de forma eficaz, tanto na prevenção quanto na reabilitação das lesões, através de uma clínica parceira e também com o trabalho apoiado na Unesc (Universidade do Extremo Sul Catarinense), patrocinadora do Criciúma na temporada. A parceria com a universidade coloca à disposição do clube bolsas de estudos, além da oportunidade dos alunos de estagiarem na equipe profissional, de base e feminina, cumprindo vinte horas semanais sendo supervisionados pelos profissionais do Tigre.
 
“Reforçamos que o resultado alcançado em campo representa o esforço de todos que trabalham para o bom rendimento dos atletas. O clube é uma engrenagem que precisa funcionar em sintonia. Neste ano, os acadêmicos de medicina Luiz Gustavo De Luca, Ricardo Conti Costa e Maria Eduarda Botelho, esta no futebol feminino, além dos estudantes de fisioterapia, João Victor Januário e Luiz Gustavo Graci, puderam estar conosco no dia-a-dia e participaram de todo o processo. O resultado foi este visto por todos na última partida da temporada contra o Paysandu, em Belém do Pará”, enalteceu o diretor médico do Criciúma, José Carlos Ghedin.
 
              
Acadêmicos de medicina da Unesc em estagio no clube.
 
*Fonte: Estudo prospectivo das lesões musculares em três temporadas consecutivas do Campeonato Brasileiro de Futebol DOI https://doi.org/ 10.1055/s-0040-1712988.

Deixe um comentário

Receba novidades e conteúdo exclusivo
Tigres pelo mundo, de Criciúma para o mundo

Patrocinadores

  • Alianda
  • Sicredi
  • Unesc - Universidade do Extremo Sul Catarinense
  • Delupo  - Máquinas, Ferramentas, EPI´s e Soluções em MRO
  • Cooperja
  • Gelos Cubinho
  • Saúde São José
  • Imbralit
  • Beat Fast
  • Volt